Ver índice de webs/blogs

Jogatina do Sabat: O que eu joguei em 2020? [Retro Players: jogos antigos é com a gente!] [[fuente]]


Você confere isso e muito mais no Blog do RetroSABAT! Games de ontem, de hoje e Cultura Nerd é aqui!!

Mais um ano terminou e o meme do Marvox Brasil de “O que jogamos durante este finado período de 365 dias” chega firme e forte para unir essa blogsfera que, um dia, já foi bem mais retrô do que é hoje. Claro, o tio Sabat aqui está contribuindo demais para essa afirmação, tanto é que de velho na minha lista de jogos, só tem a lembrança mesmo de uma ou outra franquia nascida lá atrás nos 16 bits.

A verdade é que em 2020 eu abracei de vez os videogames mais modernos. Praticamente não encostei em nada antigo, aproveitei mesmo foi para jogar algumas pérolas de consoles mais atuais que eu não havia jogado, “tirar o atraso” seria a expressão certa. Deve ter sido efeito da pandemia, reclusão social né… Sobrou tempo, sobrou comodidade e facilidade, aí as horas viram jogatinas e o resultado foi uma lista enorme que eu mesmo não tinha ideia do tamanho! E meu projetinho atual pessoal aqui também é totalmente compatível com a iniciativa né, só vai dar uma trabalheira danada pra rabiscar essa lista toda. E mais tarde, claro, eu volto para os retrogames, isso é certeza, o gosto por velharias está enraizado aqui nesse velhote que vos escreve!

Mas bem, vamos ao trabalho então, que eu sei que vai ser duro mas vai valer a pena tanto quanto valeu jogar tudo isso! Ou quase tudo…

retrosabat sabat

O que é? pancadaria de rua, chamado também de Beat ’em Up ou Streets of Rage genérico.
Lançado quando? Fevereiro de 2017
Quem fez? Mega Cat Studios
Pra quem? Mega Drive, Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC, Mobile

Quem é que começa a jogatina do ano jogando no hospital? O Tio Sabat, óbvio! Tem lugar que véio frequenta mais que hospital e missa do domingo? Mas nesta oportunidade, eu estava acompanhando minha amada mãezinha que precisou fazer uma cirurgia no joelho em período pré-pandêmico e o que ME acompanhou na jornada foi meu notebook, minha conta do Steam e um gamepad bluetooth. Passei duas noites lá jogando, deu tempo de terminar esse tal de Coffee Crisis e também o próximo jogo da lista que já falaremos.

Quanto ao game aí da crise do café (esse nome parece matéria de aula de história da 6ª série), tomamos controle de um casal de donos de uma cafeteria que percebem que o seu negócio em risco devido a uma invasão alienígena sedenta por… café. Então, basicamente, a gente soca aliens com sacos de café. E sim, o jogo é ó: uma bosta. Jogabilidade muito ruim, dificuldade desleal, mecânicas que não funcionam direito, gráficos pobres pra caramba… Em fim, vale a curiosidade por ser um game que também saiu em cartucho para o Mega Drive! Mas só isso também.

retrosabat sabat

O que é? Joguinho de navinha, só que 3D, lindo e pesado pra um caramba.
Lançado quando? Março de 2012
Quem fez? Digital Reality e Grasshopper Manufacture
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 3 e 4, Xbox 360 e One, PC, Mobile

Eis o outro game que joguei durante a recuperação da minha mãe, Sinemora, o shmup 3D semi bullet hell lotado de inimigos aéreos gigantescos e muita dificuldade pra tirar nós pilotos do sério. O game é de 2012, e já faz tempo que deixou de ser exclusivo do Steam para estar disponível em tudo que é plataforma de jogo atual, mas foi no Steam mesmo que eu joguei e foi nele que eu presenciei uma otimização muito mau feita em se tratando de performance.

Meu notebook é muito bom para jogos, são 16gb de Ram DDR4 e uma placa de vídeo GeForce GTX 1060 que deveriam ser mais que suficientes para rodar o game em uma ótima configuração visual sem travamentos, mas o que aconteceu foi uma sucessão de slowdowns irritantes a todo momento que quase me fez desistir da aventura. Mas resolvi perseverar um pouco mais e consegui terminar esse negócio no modo história, nem me atrevi a tentar algo nos outros modos de jogo, e agora, tanto tempo depois, descobri que o jogo tem uma série de bugs na versão PC que cagam no framerate e precisam ser corrigidos na base da gambiarra para que a jogatina corra bem.

Tarde demais queridão, nunca mais encosto em você!

retrosabat sabat

O que é? Crash Bandicoot 1, plataforma lateral recauchutado do PS1 que ficou massa!
Lançado quando? Junho de 2017
Quem fez? Vicarious Vision
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 3 e 4, Xbox 360 e One, PC, Mobile

Eu tinha uma meta de honra para esse ano: platinar as 3 revitalizações dos clássicos do PS1 que agora formam a trilogia Crash Bandicoot N’sane Trilogy juntamente dos 3 games da trilogia Souls. Obviamente que eu não consegui, mas até que passei perto! E comecei a missão bem: joguei Crash 1 refeito com a colisão mais precisa e com bordas e beiradas muito mais escorregadias, terminei e platinei. Mas foi difícil, nossa senhora! Eu já tinha feito 100% nos 3 jogos no passado e achei que a coisa seria menos trabalhosa agora mas olha… Ledo engano: o jogo está lindo, uma maravilha, mas o trabalho para a platina é insano demais devido ao time trial que não existia na versão original.

O trampo foi tanto que desisti de jogar os outros 2 games da coleção neste ano, mas missão dada é missão cumprida: de 2021 não passa!

retrosabat sabat

O que é? Plataforma 2D lateral monocromático e apaixonante
Lançado quando? Julho de 2010
Quem fez? Playdead
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 3 e 4, Xbox 360 e One, PC, Mobile

Aí teve uma promoção na PSN para que membros da Plus pudessem comprar por um precinho super especial a coleção Limbo + Inside e é claro que o tio Sabat cproveitou né! Aliás, acabei comprando outros games indies nessa promoção mas a gente chega lá.

Bom, levando-se em consideração época do lançamento, originalidade das mecânicas, temática e ambientação, LIMBO é um dos melhores games que eu já joguei na vida. Nesta oportunidade, instalei ambos os games da coletânea e resolvi dar um rolezinho no purgatório só pra dar aquela espiada mas só consegui parar de jogar quando o game terminou, 4 ou 5 horas depois.

Jogo bom é jogo bom, não importa a idade. E tenho review desta pérola, logo logo eu relanço aqui no blog!

retrosabat sabat

O que é? Jogo de Aventura lateral cheio de Puzzles e com mais teoria do que o necessário
Lançado quando? Junho de 2016
Quem fez? Playdead
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC

Por gostar tanto de LIMBO, eu estava com um Hype enorme em cima desse tal de Inside. Tanto é que tratei de jogá-lo logo na sequência, assim que terminei de desbravar o game do purgatório monocromático, mas o que vi naquela nova aventura não supriu minhas expectativas… Na verdade não chegou nem perto disso. O game até vinha bem, e mesmo que eu não estivesse notando nada de novo ou alguma mecânica original que me fizesse levantar as sobrancelhas positivamente, eu estava curtindo a ambientação e os puzzles mas aí… Eis que os roteiristas resolvem ser diferentinhos e colocam no game um final interpretativo na forma de uma almôndega gigante que a gente precisa digerir para só então, decidir se tudo valeu a pena. Não, eu nem digeri.

retrosabat sabat

O que é? Desertão pra desbravar quase sem nada pra fazer, e a gente fica apaixonado por isso
Lançado quando? Março de 2012
Quem fez? Thatgamecompany, Santa Monica Studio
Pra quem? PlayStation 3 e 4, PC

Aí, um chinês filho da p#@ resolveu meter o bedelho onde não deveria e chegou a tal da pandemia… E essa desgraceira ainda não foi embora, mas se algo bom pode ser tirado disso no meu caso pelo menos, é que a situação de reclusão social (sim, eu não sou do time que vai pra balada de sexta à noite) me propiciou muitas e muitas horas extras de jogatina! E vendo que o meu caso obviamente não era o único no mundo, a SONY foi ligeira em liberar de graça em seu console atual alguns games para que o povão pudesse ter o que fazer enquanto permanecia enclausurado com medo do covid. Dentre eles, estava Journey, joguete lindo, maneirasso e que eu não havia jogado ainda desde que o vira pela primeira vez no PS3 do meu irmão.

E esse jogo é só amor, é uma verdadeira sessão de terapia, uma delícia que não dá pra explicar! Ou melhor, dá sim, só ler esse REVIEW AQUI que eu escrevi logo que terminei a peregrinação. Confira!

retrosabat sabat

O que é? Jogo de aventura lateral super original e lindo demais, com cenários lindos demais, já falei que o jogo é lindo demais?
Lançado quando? Fevereiro de 2016
Quem fez? Coldwood Interactive
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, PC

Outro indie que eu tinha muita vontade de detonar: Unravel. O game do bonequinho de lã meio gato meio demoinho é simplesmente mágico, um game feito inteiro de puzzles dentro de um cenário que é uma coisa tão linda que só vendo pra crer. Detonei com vontade essa belezura e até que deu um pouco de trabalho, mas como o jogo é relativamente curto, desbravar as lindas memórias da casa não me ocupou por muitos dias. Comprei em um pacote junto com Unravel 2, mas esse eu ainda vou jogar… Não deu tempo né!

retrosabat sabat

O que é? Andou morreu, olhou torto morreu, peidou morreu remastered
Lançado quando? Maio de 2018 (original Setembro de 2011)
Quem fez? FROM Software
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC

Esse é um game que eu não esperava jogar novamente, mas quis o destino que eu comprasse, pouco depois do lançamento, uma cópia usada a um preço muito baixo. Resolvi então, pra fazer diferente e ter uma nova motivação, ir atrás da Platina e com muito sofrimento, ela veio. O remaster de Dark Souls é nada mais que a versão completa do jogo (Prepare to Die Edition) rodando a 1080p 60fps com uns efeitos mais cagados e um monte de texturas que deveriam ter sido atualizadas mas não foram, tanto que fiquei um pouco decepcionado por achar que o game seria bem mais do que apenas aquilo que eu vi ao jogar. Mas ainda assim, é Dark Souls, um dos melhores jogos que eu joguei na vida, e platinar essa pedreira me fez dar aquele chilique gostoso de xingamentos que só quem termina algo realmente desafiador sabe como é.

Depois disso, resolvi platinar os outros 2 games da franquia, mas será que deu tempo?

retrosabat sabat

O que é? Indiana Jones moderno caça tesouros pelo mundo fazendo parkour e metendo bala na bandidagem
Lançado quando? Outubro de 2015 (Original Novembro de 2007)
Quem fez? Naughty Dog
Pra quem? PlayStation 3 e 4

Já que Journey havia iniciado o meu resgate dos games exclusivos do PS3 que eu não havia jogado ainda, resolvi continuar na onda e detonei os 3 primeiros games da franquia Uncharted, um seguido do outro. Claro, tava de graça no PS4, aí fica fácil! Obrigado Sony, seremos eternamente gratos!

E não é que o jogo do Nathan Drake é bom pra caramba? Grata surpresa, devorei a aventura do caçador de tesouros politicamente MUITO incorreto até ver o trofeuzinho de platina pipocar na tela e virei fã do cara! Uncharted é aquele game em 3ª pessoa padrão onde a gente atira em todo mundo enquanto faz “alguma coisa característica”  que dá sentido à aventura. No caso, caçamos tesouros fazendo parkour pela floresta, subindo corredeiras de jet-ski, enfiando o bedelho em buracos que nós não entraríamos nem a pau, e isso dentre várias outras coisas perigosas que o Drake é especialista.

É um game realmente surpreendente, mesmo tantos anos depois, e o mesmo vale para as duas sequências. Vídeo relacionado AQUI!

retrosabat sabat

O que é? Indiana Jones moderno caça tesouros pelo mundo fazendo parkour e metendo bala na bandidagem ²
Lançado quando? Outubro de 2015 (Original Outubro de 2009)
Quem fez? Naughty Dog
Pra quem? PlayStation 3 e 4

Disparado o melhor dos 3 jogos no PS3, Among Thieves elevou o patamar de tudo que estava presente no 1º game. É uma aventura espetacular, de tirar o fôlego mesmo! Fácil um dos melhores jogos daquela geração, mostrava que a Naughtydog não estava para brincadeira não e no PS4 a coisa ficou mais bonita ainda!

O segundo game do Nathan Drake é cheio de momentos memoráveis, possui uma trama ótima, gráficos maravilhosos e a jogabilidade é simplesmente perfeita! Mais um título que eu mastiguei até cuspir a platina. Among Thieves traz uma narrativa mais pesada que a do primeiro jogo, e nos coloca inicialmente em um ponto onde controlamos um Drake todo estrupiado e sem entendermos bulufas sobre o que está acontecendo, e já este primeiro momento nos dá a exata impressão de como o game vai ser até o seu final. Imperdível muchacho, não deixe de jogar este game nessa vida. Vídeo relacionado AQUI!

retrosabat sabat

O que é? Indiana Jones moderno caça tesouros pelo mundo fazendo parkour e metendo bala na bandidagem ³ só que com roteiro zuado.
Lançado quando? Outubro de 2015 (Original Novembro de 2011)
Quem fez? Naughty Dog
Pra quem? PlayStation 3 e 4

Terceira aventura do caçador de tesouros e última a sair no PS3, Drake’s Deception ficou graficamente maravilhoso com os 1080p 60fps do PS4, tanto que muitos momentos desse game me impressionaram pelo visual bem mais que metade da biblioteca do console. Só que esse capítulo peca pelo excesso de filminhos e pelo roteiro de filme B onde os inimigos sempre estão inexplicavelmente em todos os lugares que a gente vai. O chefe final também é muito idiota, mas tirando essas falhas, o game é ótimo. Pior dos 3 com certeza, mas ainda assim, ótimo! Vídeo relacionado AQUI!

retrosabat sabat

O que é? Matança de Infectados em mundo pós apocalíptico, vai que é top!
Lançado quando? Julho de 2014 (original Junho de 2013)
Quem fez? Naughty Dog
Pra quem? PlayStation 3 e 4

E nada como jogar um dos melhores e mais bem executados games de todos os tempos  só para preparar o terreno mental para a chegada da sua continuação, não é não? The Last of Us é sim uma obra de arte: uma baita história de sobrevivência contada sob uma narrativa perfeita para um game que nos faz pensar, vibrar, chorar, prender a respiração, tudo isso em um cenário pós apocalíptico tão convincente quanto convidativo.

Mal sabia eu que, no final das contas, iria preferir totalmente este primeiro jogo e me decepcionaria tanto com a história do segundo game… Mas enfim, joguei de novo, adorei de novo, e só não platinei por causa daquelas missões online chatas do caramba.

retrosabat sabat

O que é? Jogo de narrativa em primeira pessoa que conta a história da família mais fud#@$ do mundo.
Lançado quando? Abril de 2017
Quem fez? Giant Sparrow
Pra quem? PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One, Microsoft Windows

Eu to falando que joguei muito indie em 2020! Até fui ver o que sobrou pra Dona Edite nesse jogo de exploração e narrativa em primeira pessoa que conta a história da família mais fud%@& que eu já vi. Bando de Joseph Climber!

Esse é um game que veio de graça para assinantes da Plus, e demorei um pouco para resolver jogá-lo. Mas foi só começar que rapidinho a mansão todinha já estava vasculhada. E todo mundo fud%#@o. Vale a pena, é uma história curta, comovente e em certas partes, surpreendente!

retrosabat sabat

O que é? A pancadaria de rua mais clássica de todas agora novinha em folha e com quase tudo que se tem direito
Lançado quando? Abril de 2020
Quem fez? DotEmu, Lizardcube, Guard Crush
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC

VEM NI MIM BLAZE! Como foi bom jogar um Streets of Rage oficial de novo depois de tantos anos, ou melhor, décadas! Sempre fui um adorador incondicional desta franquia da SEGA e por isso fiz questão de jogar no lançamento. E logo de cara eu gostei de algo que geralmente eu torço o nariz nos jogos: os COMBOS, e isso foi um ótimo sinal de que a coisa ia bem, ainda mais podendo controlar a Blaze Fielding mais linda e perigosa que eu já havia visto! E que cenários lindos, que jogabilidade boa, que dificuldade bem feita… Só que ainda assim, eu esperava mais do game… Sinceramente, senti falta de muita coisa que caracterizava a trilogia original e que a diferenciava dos demais Beat em Ups da época, como a enorme interação com os cenários, inimigos em veículos como motos e tratores, os finais alternativos… Enfim, ainda vou escrever algo a respeito!

retrosabat sabat

O que é? Praticamente um metroidvânia com mucha lutcha muchacho! pancadaria da melhor qualidade!
Lançado quando?  Abril de 2013
Quem fez? DrinkBox Studios
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 3 e 4, Xbox 360 e One, PC

Eu disse que nesse ano que passou eu joguei bastante games indies né? E dentre eles, nada superou essa obra prima que é Guacamelee, versão Super Turbo Championship Edition (sim, é esse mesmo o nome kkk). Na verdade, nenhum título de todos que joguei no ano conseguiu, para mim, ser melhor do que a aventura cheia de porradaria e referências malucas de Juan, o luchador da Máscara Sagrada!

Gente, o game é original demais, lindo, hilariante, viciante e difícil pra caramba, sem contar que Guacamelee é uma homenagem sem igual à história dos games, jogue e verás! Mas se prepare para passar raiva, pois o game irá te desafiar MUITO e o aprendizado da jogabilidade, apesar de gradativo, é constante e a mistureba de comandos, golpes e combinações do Juan vai se tornando cada vez mais complexa e necessária para que o herói possa salvar o Mexiverso e sua amada das mãos ossudas do vilão Carlos Calaca. Imperdível muchacho, vai com fé que esse tem o Selo Sabat de qualidade!

retrosabat sabat

O que é? Continuação direta do metroidvânia com mucha lutcha muchacho!
Lançado quando?  Agosto de 2018
Quem fez? DrinkBox Studios
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 3 e 4, Xbox 360 e One, PC

E já que a primeira aventura havia sido tão maravilhosa e o Mexiverso estava em perigo novamente, tratei de emendar a jogatina da sequência de Guacamelee e não me arrependi: Guacamelee 2 não é tão bom quanto o primeiro principalmente devido a ser exageradamente difícil quase beirando a frustração, mas ainda assim, não deixa a qualidade cair e se mantém como um dos melhores games que joguei no ano.

Referências continuam aparecendo aos montes, de seita das galinhas iluminati à mimic do Dark Souls, a aventura continua viciante demais e o resto, bem, o resto é o Juan descendo a mão em tudo e todos em busca da Guacamole Sagrada, incluindo um Fusca 85.

O que é? Metroidvânia facinho e agradável, quase um passeio na floresta
Lançado quando? Setembro de 2016
Quem fez? Swing Swing Submarine
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, PC

Depois das pedreiras que foram Guacamelee 1 e 2 eu precisava relaxar a mente um pouco e foi então que fui apresentado a esse joguete lindo da raposinha defunto. Seasons After Fall é um Metroidvania de exploração onde não precisamos nos preocupar com HP e punições severas por termos errado um pulo: só temos que explorar ao máximo os ambientes resolvendo puzzles e ajudando as entidades da floresta modificando os cenários com os poderes das estações. Apesar da narrativa simples e de ser bem curtinho, o joguinho é MUITO BOM e aconchegante, tanto que só de escrever sobre ele me deu vontade de jogar de novo. Platina fácil para quem quiser um trofeuzinho na coleção, e me deixou bem mais relaxado para a pedreira que viria a seguir.

O que é? Andou morreu, olhou torto morreu, peidou morreu²
Lançado quando? Março de 2014
Quem fez? FROM Software
Pra quem? PlayStation 3 e 4, Xbox 360, PC

Vale lembrar que eu já havia jogado antes os 3 games da franquia Souls, inclusive no Steam eu tenho mais de 300 horas deste segundo título! Mas nunca havia tentado jogar para ver o trofeuzinho platinento subir na tela, então a jogatina de Dark Souls 2 em sua versão mais completa foi reiniciada com perseverança e muita fé na missão. E não se enganem pelas más línguas: esse jogo é excelente, eu faria pouquíssimas correções pra deixar ele perfeito, como regular a hitbox do personagem e abolir o sistema de Soul Memory que não serve pra nada. No restante, Dark Souls 2 é o game mais balanceado da franquia, o único que permite você ser realmente eficiente/poderosão jogando de mago ou piromante, é o que tem a maior variedade de armas, a maior quantidade de mecânicas e segredos, é o que te deixa menos perdido em relação à história e ao que está acontecendo… Enfim, é um jogão! Eu arrisco dizer até que gosto mais dele que do 3, que é mais linear e apelativo na dificuldade. E sim, o troféu platinento subiu depois de um bom tempo de jogo divididos em duas jogatinas e meia. Suado, mas prazeroso!

Storm Boy

O que é? Historinha do menino amigo do pelicano
Lançado quando? Dezembro de 2018
Quem fez? Blowfish Studios
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows

Mais um indie relaxante na lista de terminados do Tio Sabat, Storm Boy veio pra fazer minhas mãos pararem de suar após a longa jornada em Dark Souls 2. Um jogo leve e muito simples, que eu terminei numa tarde e que não me acrescentou absolutamente nada, essa é a verdade. Mas também não me irritou, nem me incomodou, não saí dizendo “que jogo merda!” depois de terminar, então valeu a jogatina relaxante.

O que é? Muita matança por vingança em mundo pós apocalíptico. Infectados é só uma distração.
Lançado quando? Junho de 2020
Quem fez? Naughty Dog
Pra quem? PlayStation 4

Comprei na pré venda, joguei assim que saiu e sim, adorei o jogo e me surpreendi com a bruta evolução tecnológica que ele apresentou, algo realmente de outro mundo e que me fez acreditar que uma nova geração de consoles poderia esperar um pouco mais. Vi neste game os cenários mais detalhados da minha vida em se tratando de jogos eletrônicos, presenciei uma jogabilidade praticamente perfeita em momentos de tirar o fôlego e perseguições ferozes, vivenciei situações chocantes que nunca imaginei ver em um game, mas… não gostei da trama genérica cheia de personagens descartáveis. Pra sorte de vocês, coloquei todas essas minhas impressões em um review bem detalhado que você acessa por aqui ó: TLoU2 Crônica, Review e um coração partido a machadadas.

O que é? Verdadeira pancadaria de carros pelas ruas fictícias de Paradise City
Lançado quando? Março de 2018 (original Janeiro de 2008)
Quem fez? Criterion games
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, PC

Pensa numa franquia de jogos de corrida que, além do trivial “chegue na frente”, ainda te faz disputar rachas destruindo carros de rivais, te faz pegar turbo andando pela contramão tirando aquela fina dos carros que vem de encontro, te coloca no volante de um fórmula 1 no meio da cidade e que nos permite destruir uma avenida inteira de veículos num acidente que quanto ais colossal for, melhor. Este é Burnout, e infelizmente, Paradise, o 4º game da franquia, não chega aos pés do antigaço Takedown, o game anterior lançado ainda no PS2. Ainda diverte, mas a ideia de “mundo aberto para carros” não funcionou muito bem aqui não, e acabamos rodando demais e desnecessariamente pela cidade de forma repetitiva e maçante. Trilha sonora muito boa, só rock pauleira, mas num momento mais avançado temos que desligar a reprodução de “musica clássica” pq senão… vai dar sono! Deus, por quê colocaram isso no jogo???

O que é? É o Pokemon da Capcom, com monstros bem maiores, mais selvagens e mais difíceis de capturar.
Lançado quando? Dezembro de 2017
Quem fez? Capcom
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows

Monstros gigantes, dinossauros, selvas inexploradas, jogabilidade de ação e uma cacetada de armaduras e armas pra gente distribuir bordoadas, o que poderia dar errado? Era o que eu pensava quando comprei Monster Hunter World Iceborne, o até então capítulo mais atual da franquia de eliminação de monstruosidades da Capcom. Comprei, achei super legal, joguei por umas 2ohs e criei armas, armaduras, matei um monte de monstrengos… Cheguei nas 30 horas e os monstros se repetindo, mesmos locais, mesmas missões, já não tava tão legal assim. Aí cheguei nas 40hs e tava repetitivo DEMAIS, larguei e quem quiser comprar um Monster Hunter World Iceborne novinho eu to vendendo.

O que é? É Street Fighter, ué!?
Lançado quando? Fevereiro de 2016
Quem fez? Capcom
Pra quem? PlayStation 4 e PC

Gente, nunca joguei tanto Street Fighter V na minha vida, neste ano que passou eu realmente libertei a Cammy e o Necally que existiam dentro de mim. Consegui ultrapassar meus limites, cheguei a Super Silver com a Cammy! E se isso é pouco pra você, saiba que paro farofeiro de shoryuken aqui, isso é uma conquista e tanto. Nunca serei capaz de platinar esse game… O troféu exige um ranking Gold e isso é inimaginável pra mim, mas fiquei muito, mas muito contente com o meu desempenho, tanto que quando parei de jogar, eu estava de bem com a vida e com aquele sentimento de dever cumprido!

Street Fighter V não é unanimidade, tem muita gente que não gosta e a base de jogadores ativa sempre foi baixa devido as novas mecânicas de precisão do game que afugentaram o jogador casual. Mas ainda assim é um belo jogo de luta! Só não gosto dele mais que Street Fighter Alpha 3.

O que é? Aventura 2D lateral da moça perdida num mundo muito doido
Lançado quando? Dezembro de 2018
Quem fez? Nomada Studio, BlitWorks
Pra quem? Nintendo Switch, PlayStation 4, Mobile, Microsoft Windows

O último indie game do ano, e que jogo bom! Gris é como uma pintura em movimento, uma aquarela enorme dividida em várias partes que a gente explora até doer os dedos e mesmo assim, não quer largar  o gamepad. O game é um plataforma lateral com uma pitada de metroidvânia, um monte de coisas escondidas, puzzles a dar com pau e ambientes tão imersivos que dá vontade de voltar tudo só pra ficar zanzando por lá. Há quem diga que Gris passa mensagens de depressão feminina e outras coisas… Confesso que não percebi, mas ele é sim um prato cheio para aquele pessoal que gosta de parecer super culto e fica encontrando sentidos variados e viajantes nas coisas. Eu? Só joguei e achei o game uma maravilha. Recomendo demais!

O que é? Vickings e assassinos tudo junto e misturado num mundão aberto.
Lançado quando? Novembro de 2020
Quem fez? Ubisoft
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 5, Xbox Series X, Microsoft Windows

Eu nunca antes havia jogado um Assassin’s Creed. Valhalla foi o primeiro e acho que o que me chamou a atenção no game é o fato de que ele não se parece muito com um Assassin’s Creed. Ou isso ao menos era o que eu pensava! Joguei Valhalla e, apesar de não ter me aprofundado a ponto de querer explorar o mapa todo e fazer o maior numero de missões possíveis, gostei muito do que vi. É um jogo que certamente irei jogar mais uma vez para explorar aquele mundão da forma correta, sem pressa, por que foi justamente isso que me impediu de focar de verdade nessa aventura, do jeito que eu realmente gosto de fazer. Mas tem review, escrevi para o Noobz e em breve vai estar aqui também! Se liga no Review AQUI!

O que é? Andou morreu, olhou torto morreu, peidou morreu³
Lançado quando? Março de 2016
Quem fez? FROM Software
Pra quem? PlayStation 4, Xbox One, PC

Hora da verdade: consegui ou não platinar os 3 Dark Souls em 2020?

Comecei a jogar essa desgraceira no início de Dezembro, um mês conturbado com entrega de projetos da empresa, datas festivas, recesso… Em fim, é um mês que de folga, não tem nada! Tempo pra jogar também não foi o ideal, tanto por que eu estava dividindo as horas disponíveis entre este título e o próximo da lista, ao qual eu estou extremamente viciado e encantado. Mas para uma resposta é sim, e para outra é não: sim, eu terminei Dark Souls 3 da forma mais completa que eu pude, inclusive vencendo pela primeira vez na vida, o Dark Eater Midir, o inimigo mais cascudo de toda a franquia Souls. E não, eu ainda não platinei o game, ainda falta muito e a dupla Pactos + Anéis está realmente me tirando do sério a ponto de me fazer querer desistir de tentar. Sério, troféu online é uma BOSTA e os anéis são tantos que tá loco! mas vou jogando devagar, pegando as coisas aos poucos, e uma hora essa platina sai. Tem que ter fé!

O que é? Clone de Zelda que consegue não ser clone de zelda
Lançado quando? Setembro de 2020
Quem fez? miHoYo
Pra quem? PlayStation 4, Nintendo Switch, Android, Microsoft Windows

Um dia fiquei sabendo da existência de um BotW Clone free to play… Chinês ainda por cima. Coisa boa? Eu duvidava fervorosamente, mas era de graça, que mal havia em dar uma espiada?

Muchachos, essa espiada se transformou em mais de 500 horas de jogo, provavelmente umas 600 a essa altura, e se a coisa prosseguir como parece, Genshin Impact tem tudo para se tornar o game que eu mais joguei na vida.

Mas aqui não dá pra dizer qual é a desse jogo não… Vou precisar de um espaço bem maior que essas poucas linhas para explicar de maneira satisfatória o quão fo#@ é esse título, então aguardem o review! Promessa do Tio Sabat!

 

Considerações finais, e bau bau 2020!

Inegavelmente, joguei bastante neste finado ano que passou. Se eu for comparar com 2019, nossa, devo ter terminado 3 ou 4 vezes mais games! Nunca na vida joguei também em busca de platinas, confesso que era algo que eu considerava banal mas foi só ganhar a primeira delas que peguei gosto pela coisa e comecei a ir atrás das conquistas nos jogos que eu jugo merecedores de tal trabalheira, e em se tratando disso, 2021 já começa com metas: a missão de platinar Crash 2 e 3 da Nsane Trilogy e Dark Souls 3 continua, Sekiro e Crash 4 são, de início, os títulos que eu não vou deixar passar, na minha prateleira de jogos de PS4 metade deles não foram jogados ainda, e finalmente, PRECISO VOLTAR A JOGAR MEGA DRIVE por que, como diria o Tim Maia, paixão antiga sempre mexe com a gente. Inclusive eu cogito demais comprar a coletânea de 50 jogos de megão pra eu poder jogar com a minha pimpolha que se amarra num Sonic gordinho!

Então, vamos a 2021, e que comecem os jogos! Bom ano a todos, e que vocês tenham excelentes aventuras virtuais, muchachos!!

Blogs participantes:

Quem já postou o artigo está com o símbolo ✅ (copiei o Marvox/Cadu na caruda, e vou continuar copiando!).]

[Blog] A TV Vai Estragar! => Eduardo Farnezi
✅ [Blog] Arquivos do Woo => Diogo Batista
✅ [Blog] Arquivos do Woo => Tony Horo
[Blog] Desocupado => Paulo Victor
✅ [Blog] Gamer Caduco => Cadu
[Blog] Locadora Resident Ivo => Ivo Ornelas
✅ [Blog] MarvoxBrasil => Marvox
✅ [Blog] RetroSabat => Sabat (Você já está aqui muchacho!)
[Blog] Vão Jogar! => Tchulanguero
[Blog] Vão Jogar! => SucodelarAngela
[Blog] Vão Jogar! => Somari
✅ [Blog] Videogames com Cerveja => Felipe B. Barbosa
[Canal] Jogatinas Saudáveis => Vigia
[Canal] Universo Retrogamer => Marcão

Fim

O post Jogatina do Sabat: O que eu joguei em 2020? apareceu primeiro em RetroSABAT>.

Super Metroid - Samus Combat Armor [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Ação
Ano: 2020
Fabricante: Nintendo
Hacked: Munchy
Super Metroid - Samus Combat Armor é um hack que modifica o traje da Samus, substituindo-o pelo Zero Suit, que apareceu pela primeira vez no Metroid Zero Mission do GBA.
Ademais, o jogo permanece inalterado, sendo apenas um hack cosmético, mas, talvez, seja o suficiente para que os fãs da franquia deem uma nova chance para a aventura da Samus com novo visual.

Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

Super Luke Kart [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Corrida
Ano: 2020
Fabricante: Nitendo
Hacked: LukeNovaes
Super Luke Kart é um hack de SMK criado por Luke Novaes, trazendo as seguintes novidade em relação jogo original:
- 20 novas pistas de corrida!
- 4 novas arenas de batalha!
- 14 novos motoristas!
- Novo sistema de pontos!
- Novos conjuntos de probabilidade de itens!
- Novos backgrounds!
- Jogue a Copa Especial em 50cc!
- Todas as Copas já liberadas desde o inicio!

OBS: Cada versão conta com personagens diferentes.
Versão 1

Versão 2


Download (MediaFire)[Versão 1]: Clique Aqui!
Download (MEGA)[Versão 1]: Clique Aqui!
Download (MediaFire)[Versão 2]: Clique Aqui!
Download (MEGA)[Versão 2]: Clique Aqui!

NBA Jam 2k21 - Tournament Edition [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Esporte
Ano: 2021
Fabricante: Midway
Hacked: eskayelle/Mattrizzle/phonymike
NBA Jam 2k21 - Tournament Edition é mais nova versão atualizada do clássico jogo de basquete do SNES.

Equipes, jogadores desde o final da temporada 2020-21, uniformes, escalações, quadras, banners e sons foram atualizados.

Novos jogadores! Jusuf Nurkić, Bam Adebayo, Carushow etc. Também novos jogadores secretos foram adicionados, além de agora ser possível jogar com eles no modo campanha.
Todas as 30 equipes estão disponíveis para jogar de imediato.

Termine o jogo para acessar os All-Stars 2020 e o Legends, com os melhores jogadores da liga! Também podem ser acessados com código Konami.

Estatísticas de lesões aumentam em 50! Jogue com amor, não vá empurrar!

Para os fãs do melhor jogo de basquete do SNES, NBA Jam 2k21 - Tournament Edition é um bom motivo para revisitá-lo.


Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

GOEX – Alternativa à Gotek via SD, para A500 / A600 / A1200! [Retromania.pt] [[fuente]]


A GOEX é a mais recente alternativa às drives GOTEK e foi desenvolvida com o Amiga 500, 600 e 1200 em mente. Vem com todos os acessórios de montagem necessários já incluidos, evitando assim a necessidade de realizar modificações na motherboard ou na case. Totalmente compatível com o firmware FlashFloppy de Keir Fraser e com […]

O conteúdo GOEX – Alternativa à Gotek via SD, para A500 / A600 / A1200! aparece primeiro em Retromania.pt.

Super Mario Bros. Peach's Adventure [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Aventura
Ano: 2020
Fabricante: Nintendo
Hacked: BWGLite
Depois de uma forte queda, a Princesa Peach se encontra inconsciente, longe de seu castelo. Toad encontra Peach perto de sua casa e a leva para que ela se recupere. Ao acordar, Peach agradece ao Toad e retorna para seu castelo, mas descobre que o Rei Koopa se apoderou dele! Preocupada, Peach corre para a casa de Mario, mas também descobre que Koopa o velou! Peach, não querendo deixar isso continuar, sai para resgatar Mario, recuperar seu castelo e parar Koopa de uma vez por todas!

Super Mario Bros. Peach's Adventure é uma aventura em escala real, com 8 mundos principais, um 9º mundo especial e toneladas de segredos e conteúdo pós-jogo! Quase todos os níveis também têm moedas de 5 estrelas para coletar!
O jogo também tem muitas participações especiais de personagens, cenas e fases com temas especiais!


Os gráficos são belíssimos, inspirados numa versão de jogos 8-bits do Nintendinho, mas um pouco mais colorido, pois não tem a mesma limitação de cores do referido console. Os designs das fases e mapas também são bem construídos.

A trilha sonora é ótima e combina perfeitamente com os ambientes de cada fase.
A dificuldade é bem balanceada e progressiva, o que dispensa o uso de save states. O jogo pode ser salvo a qualquer momento e não há vidas, portanto, não há game over e nem perda de progresso! Em vez disso, as moedas são usadas para comprar itens em lojas no mapa.

Definitivamente Super Mario Bros. Peach's Adventure pode ser considerado um dos melhores hacks de SMW, sendo indispensável para os fãs da série.

Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

Super Mario World SA-1 [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Aventura
Ano: 2020
Fabricante: Nintendo
Hacked: Vitor Vilela
Super Mario World SA-1 é um hack que faz uso do chip especial SA-1. O SA-1 é um coprocessador presente em alguns jogos de SNES. Por ser aproximadamente quatro vezes mais rápido que o CPU principal do console, ele pode melhorar significativamente o desempenho de um jogo e esse é o objetivo desse hack, pois remove a lentidão (slowdowns) presente no Super Mario World original.

Para quem tem flashcard, por fazer uso do chip especial SA-1, essa versão funciona apenas no SD2SNES, não sendo compatível com o Super Everdrive ou Super Ufo.

Download [MediaFire]: Clique Aqui!
Download [MEGA]: Clique Aqui!

The Legend of Zelda: A Link to the Islands MSU-1 [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


The Legend of Zelda: A Link to the Islands MSU-1 é um excelente hack de The Link to the Past do SNES em sua versão MSU-1, com músicas com qualidade de CD.

É possível jogar diretamente no Super Nintendo, desde que possua o flashcard SD2SNES, ou no PC, utilizando o emulador Snes9X.

Download [MediaFire]: Clique Aqui!
Download [MEGA]: Clique Aqui!

Para jogar no SD2SNES, basta descompactar e copiar a pasta para o cartão SD. No SNES, vá até a pasta copiada no SD e abra o arquivo "altti_msu.sfc".

Para jogar no emulador Snes9X, descompacte o jogo e abra o arquivo "altti_msu.sfc" presente dentro da pasta descompactada.

The Legend of Zelda: A Link to the Islands [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Ação/Rpg
Ano: 2020
Fabricante: Nintendo
Hacked: Darklink7884
The Legend of Zelda: A Link to the Islands é um hack de A Link to the Past inspirado em Wind Waker. Foi originalmente chamado de Lyra Islands e desenvolvido por SePH em 2004-2005, mas não foi concluído. Em 2015, o projeto de Lyra Islands foi mais uma vez reiniciado com o objetivo de finalizá-lo. O projeto foi renomeado para A Link to the Islands.

Novidades:
Novos designs e mapas do mundo superior.
Novo design do Dark World (Áreas 43, 45 e 47 APENAS!).
O Castelo de Hyrule foi realocado.
Cidade de Kakariko realocada.
Novo quebra-cabeça no estilo Lost Woods.
Oito novas masmorras e uma mini-masmorra.
Ganon consegue sua própria torre no Mundo das Trevas.
Novo monólogo e dicas no jogo.
Novos sprites.
Hack de ASM adicionado.
Novas cenas de finalização.
Créditos finais personalizados.
Suporte MSU-1.

Ao contrário de outros hacks que são famosos por seus níveis de dificuldade implacáveis, A Link to the Islands é um jogo justo para todos. Não há segredos mirabolantes ou sem lógica, embora ainda tenha um nível decente de dificuldade. Porém, algumas idas e vindas podem ser necessárias às vezes. Ainda assim, você nunca terá que usar save state, pois o jogo não ficará frustrante enquanto joga.


Versão 2.3 - Atualizada em 12.01.2020

Versão normal [sem MSU-1]
Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

Versão MSU-1 [Músicas com qualidade de CD e Vídeo]
Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

Super Metroid Vitality [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: Ação
Ano: 2020
Fabricante: Nintendo
Hacked: Digital_Mantra
Super Metroid Vitality é o mais recente romhack criado por Digital_Mantra. A nova missão de Samus começa quando ela foi contratada para investigar uma instalação no Planeta Auriga.

Auriga é um planeta vasto, igual ou maior que Zebes. Por causa disso, é também um hack longo em comparação com os outros. Obviamente, também há muitos locais para explorar e muitos segredos para descobrir.

A dificuldade desse hack é um pouco mais difícil do que o jogo original, mas nada que deixe o jogo injusto. Nenhuma técnica avançada é necessária para concluir este hack. O que o torna mais difícil aqui é a escassez de recursos. Existem estações de recarga de energia e munição, mas esses locais tendem a ser mais espaçados. Os chefes principais também irão requerer um pouco de habilidade e perspicácia por parte do jogador para descobrir a melhor forma de derrotá-los. 
Este hack contém gráficos de maneiras nunca antes vistas, utilizando inteligentemente camadas de fundo/transparência para criar movimento, animação, combinação de cores etc. O nível detalhes colocado em cada ambiente, e no mundo do jogo como um todo, é completamente incomparável. Não é uma exploração de ambientes genéricos, mas sim uma viagem genuinamente envolvente por um planeta misterioso. O level design das fases é bem criativo, o visual é impressionante, com ótimas paletas e excelente uso de efeitos de iluminação.

Super Metroid Vitality é altamente recomendável para os fãs, sendo certamente um dos melhores hacks feitos até hoje.


Download (MediaFire): Clique Aqui!
Download (MEGA): Clique Aqui!

Mega Drive – Protótipo de Sonic 1 foi encontrado e está disponível para download! [Retromania.pt] [[fuente]]


Os famosos sites Hidden Palace e o The Cutting Room Floor acabam de disponibilizar a ROM do protótipo de Sonic 1 para a Mega Drive! O protótipo é uma versão muito prematura e incompleta do jogo que todos conhecemos. No entanto, é um deslumbre do seu estado de desenvolvimento e parece ser a fonte do […]

O conteúdo Mega Drive – Protótipo de Sonic 1 foi encontrado e está disponível para download! aparece primeiro em Retromania.pt.