Agenda de retro eventos:

Ver índice de webs/blogs

Yogi Bear [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Ano: 1994
Gênero: AventuraFabricante: Cybersoft
Yogi Bear é um jogo baseado na série de desenho animado Zé Coméia.
O jogo é estilo plataforma onde você terá que pular nas cestas de piquenique para fazer pontos. Você poderá pegar relógios também que contarão pontos e que tem uma função a mais. Em algumas fases você o jogador terá que encontrar uma cama na qual é um portal para um bônus. O jogador será transportado para um fase especial, cheia de doces, onde a mesma tem uma dificuldade acentuada. No final de cada bônus você pegará uma parte de um relógio, que ao todo são quatro partes. 
O jogo contém bons gráficos e uma jogabilidade muito boa. O destaque do jogo com certeza é sua trilha sonora. Muito boa, combinando perfeitamente com a ambientação das fases.
O único porém é que ao longo do jogo a dificuldade vai aumentando de maneira absurda.
Para quem é fã da série esse jogo é uma ótima pedida. O contém contém tudo para ser um bom jogo. 

Créditos Review: Wallace
Download: Clique Aqui!

F-Zero CD - MSU-1 [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]



E para a alegria de todos, eis que acaba de ser lançada mais versão de um jogo clássico com a sua trilha sonora remasterizada. 
Está versão foi desenvolvida pelo mesmo romhacker (Con) que deu início a era de jogos de SNES com a qualidade de CD, com lançamento do jogo The Legend of Zelda: The Link to the Past, sendo que a partir daí vieram muitas outras modificações para diversos jogos.
Desta vez, quem recebeu um merecido tratamento na sua trilha sonora foi super clássico F-Zero. Assim como todos os outros games que receberam uma atualização, F-zero agora conta com uma trilha com qualidade de CD, contando com versões remixadas e algumas extraídas da sua versão que saiu para o Nintendo 64, garantido, assim, um ótimo ganho de qualidade em sua trilha, mas sem fugir dos temas clássicos.

Você pode jogar no diretamente no Super Nintendo, desde que possua o flashcard SD2SNES, ou no PC, utilizando o emulador BSNES.
Download (rom patcheada Versão 1): Clique Aqui!Download (rom patcheada Versão 2): Clique Aqui!Download: (emulador bsnes): Clique Aqui!
Obs: São duas versões, sendo cada uma com trilhas diferentes, portanto, baixe e jogue com a que você achar melhor.
Para jogar no SD2SNES, basta descompactar e copiar a pasta para o cartão SD. No SNES, vá até a pasta copiada no SD e abra o arquivo "f-zero_msu1.sfc".
Para jogar pelo emulador BSNES, descompacte e abra o arquivo "f-zero_msu1.sfc" presente dentro da pasta descompactada.

Paddle 2 botões [HotBit] [[fuente]]


Para complementar um antigo post, segue abaixo link para uma placa de circuito impresso para um Paddle padrão MSX com 2 botões, projetado especificamente para a caixa CR-096. O projeto dessa placa com dois botões era de 2007, mas ainda baseado no circuito de 1992, que não tinha o resistor em série com o potenciômetro.
Layout da placa feito em 2007

Dei uma incrementada no circuito, adicionando o resistor em série com o potenciômetro, um resistor de base para assegurar o corte do transistor e um LED para indicar o funcionamento.

Novo diagrama do "Paddle" de 2 botões.

 
Por causa das mudanças dei uma melhorada no layout da placa.
Novo "layout" da placa.
Cabe notar que os 2 "microswitches" bem como o potenciômetro e o LED devem ser montados na face da solda.
Led, Botões e potenciômetro montados do lado das soldas.

Link do dropbox contendo os arquivos.


Ficha: Galaxian - Arcade (1979) [Retro Games Revival] [[fuente]]


Você é um piloto de caça do espaço que deve atirar em onda após onda de alienígenas que se parecem com libélulas.

A formação dos Galaxians vagamente se assemelha a uma pirâmide (desproporcional). No topo estão os dois, as vezes três lideres (Flagships), abaixo uma fileira de seis escudeiros que em dupla (quase) sempre acompanham seus lideres nas investidas contra sua nave, a Galaxip.
A terceira fileira apresenta  oito aliens de uma classe um pouco diferente daquelas dos escudeiros, mas apenas nas cores, pois de resto, são idênticos. Assim também é com a comissão de frente, que são as três primeiras fileiras, cada uma com dez aliens libélulas.

O ataque é tudo meio parecido. E sem qualquer variação Galaxian segue. O único objetivo é se manter vivo e pontuar o máximo possível.

E a simplicidade venceu outra vez! Galaxian foi licenciado para outras empresas (Midway, Taito, etc, etc...) como era de praxe, foi clonado, hackeado  e teve o hardware servindo para outros jogos nos arcades.
Além disso, foi portado para quase todos os sistemas 8 bits, onde também teve vários clones e serviu de inspiração para inúmeros outros títulos por essas plataformas primarias.
https://www.youtube.com/embed/6Mvo4hZ3dRE

TESTE [Retro Games Revival] [[fuente]]


Você é um piloto de caça do espaço que deve atirar em onda após onda de alienígenas que se parecem com libélulas.

A formação dos Galaxians vagamente se assemelha a uma pirâmide (desproporcional). No topo estão os dois, as vezes três lideres, abaixo uma fileira de seis escudeiros que em dupla (quase) sempre acompanham seus lides nas investidas contra você.
A terceira fileira apresenta  oito aliens de uma classe um pouco diferente daquelas dos escudeiros, mas apenas nas cores, pois de resto, são idênticos. Assim também é com a comissão de frente, que são as três primeiras fileiras, cada uma com dez aliens libélulas.

O ataque é tudo meio parecido. E sem qualquer variação Galaxian segue. O único objetivo é se manter vivo e pontuar o máximo possível.

E a simplicidade venceu outra vez! Galaxian foi licenciado para outras empresas (Midway, Taito, etc, etc...) como era de praxe, foi clonado, hackeado  e teve o hardware servindo para outros jogos nos arcades.
Além disso, foi portado para quase todos os sistemas 8 bits, onde também teve vários clones e serviu de inspiração para inúmeros outros títulos por essas plataformas primarias. https://www.youtube.com/embed/6Mvo4hZ3dRE

How to Use - Spellcaster (1988) [QgMaster] [[fuente]]



Oi amigos, como vão? Paramos um pouco o andamento das matérias de rotina. Finalmente, conseguimos chegar ao final de um game muito querido do QG: o Spellcaster. Se você já se encantou com o review do Léo, aqui nós comentamos o passo-a-passo deste game incrível!

INICIAÇÃO À MAGIA:
O Review do Léo já explicou bastante como são os comandos, mas retomemos um pouco. Vamos aprender a usar nosso monge guerreiro.
- Botão 1 dispara magias, pode carregar o poder simples segurando, e usar o especial segurando enquanto aperta baixo.
-        - Botão 2 dá saltos.A relação das esferas:Esfera Azul: Aumenta força (Life)Esfera Laranja: Aumenta Energia (Poderes)
MenuMove: Leva o personagem a outro lugar selecionado.Talk: Conversa com personagens específicosLook: Observa com genericamente (Terrain) ou especificamente, para falar ou pegar um item.Take: Pega itens específicos após o Look.Use: Apresenta ou utiliza o item escolhido.Spell: Utiliza Magias dos deuses incluindo a Password.


A relação entre os deuses e poderes é esta: 
Magias Efeito Custo
Hakuji Solta um raio pelo deus da Luz 3
Indra Evoca uma rajada pelo deus hindu do Trovão 10
Fudo Uma forte bola de Fogo com a força do Buddha Justiceiro 20
Kannon Exorciza os seres das trevas abrindo o Templo da Fênix 5
Hatten Evoca uma rajada pelo deus do Vento 10
Mars Restaura forças pelo deus grego da Guerra 25
Makiri Permite voar por 30 segundos pelo deus voador 20
Nobota Um escudo feito deus da proteção 30

Agora que aprendemos um pouquinho, vamos ao desafio:




Summit Temple
Aqui começa nossa jornada, Kane saúda o mestre Daikaku, seu mentor. Ele lhe explica o que precisa para investigar. Você irá então ir para o Move para o Mt. Enriku.
Mt. EnrikuEsta fase é apenas para treinar os poderes de Kane enfrentando samurais e alguns monstrinhos. Se é a segunda rodada nem use os deuses, mas economize seus poderes. Uma pena que o Kane original levita suas roupas de monge quando carrega seu poder. Dentro do templo, você encontrará o monge protetor com catchup, sangue na boca e ele fala a palavra Izumo. De volta ao mestre Daikakuele fala para ir investigar Izumo.


IzumoA primeira pessoa que você encontrará está na barraquinha de macarrão. Usando o look no macarrão, aparecerá Kuma, o vendedor. Preste bastante atenção, você sempre poderá contar com ele para comer um bom prato de spaghetti (yakissoba no original japonês) e repor suas forças. Você se moverá pro templo Izumo, bem mais difícil que o Mt. Enriku. Aqui surge o primeiro boss, oinimigo desconhecido.  Ele tem um raio elétrico fácil de vencer. Mantenha distância e dê tiros carregados. Ele dirá a palavra "Kusanagi" (sério? The King of Fighters aqui?!) antes de morrer. De volta à Daikaku, você deve comentar sobre a palavra com ele.

AttaroQuando for pegar a espada no templo surge outro boss, Jukaku. Ele usa shikigamis, monstros que surgem de cartas (é o máximo, né?). No anime original, ele usa óculos ray-ban. Ele luta bem, mas facilmente é vencido com o Hakuji. Ele não morrerá, mas te explicará ser o protetor de Kusangi e que a espada é falsa. Pegue-a mesmo assim, ele não vai mais se importar. 

De volta à Daikaku, você deve mostrar a espada e ele indicará o Monte Miwa. Mas antes, pode passar em Izumo e filar um macarrão de novo!

Mt. MiwaNo pé da montanha, uma anciã mandará você embora no pé da montanha. Use a Espada Kusanagi. Ela se revelará uma  guerreira de armadura vermelha parecida com o de Izumo. Ela gira no ar e dispara para todos os lados.  Tem um ponto cego na tela que te atinge. Basta esperar ela descer e carregar o Ki nela e abaixar os tiros, é moleza. Com as portas abertas, passando as estátuas dos shinigamis, vc tem que saltar nas árvores com cuidado, ou os montrinhos te derrubam, uma dica é dar um passo pra trás antes de pular quando vê-los. Suba o monte e cuidado com os abismos. Na segunda tela de abismos, sugiro usar o Makiri pra atravessar e chegar ao Templo. 



No Templo, encontrará Wakahiko (que lembra o Jiban, como Léo lembrou!), seguidor do deus serpente (no original, "Orochi", sim, você lembrará de KOF ou Blue Seed, mas é tudo de uma lenda bem antiga japonesa) quer se vingar de tudo o que você já causou. Wakahiko usa um campo de força e bumerangues, o ideal é ainda o Ki carregado e mirar também nos bumerangues, indo dum ponto a outro da tela. Agora retorne à Izumo, coma mais macarrão e vá falar com Daikaku.   Ele te mandará ao Templo de Kashima.

KashimaAqui vai parecer Izumo, mas o trecho aqui é bem difícil, você enfrentará raposas de fogo (Kurama? Naruto?) e os abismos bem difíceis, talvez necessitando do Makiri. Você verá uma pedra sagrada prestes a ser destruída por um inimigo de fogo. Começa a luta pra impedi-lo. O Boss Fire é nojento, ele é o mais difícil subindo e descendo com chamas. A única forma de vencê-lo é acertar um Fudomuito bem colocado. (Erro 10 vezes antes de acertar em cheio!) ou mandar o Hatten que puder.

ShimonoAqui é uma parte bem interessante do game. Você está num píer, usando o Look 2 vezes, encontrará uma garota (que deixará Kane embasbacado!) 



Porém um tornado a arrebatará e você tem que pensar rápido. Tá aí uma solução bem criativa: Use o Hatten para enfrentar o vento! Enquanto a moça cai, mande o Makiri para voar e apanha-la. Ela estará num sonho enfeitiçado, então então use o Kannon, o Templo da Fênix a libertará. 


Ceninha original do anime.

Eles conversarão, e descobrirá que o nome dela é Midori (Verde em japonês) ela o levará para casa e apresentará o avô. Ele vai te explicar que o mar está cheio de espíritos e pescar está perigoso. Você poderá sendo meio “entrão”, comer um sushi e um ovo frito feitos por Midori, e “jogar um verde” pra ela: “Quero casar com uma boa cozinheira como você”.


Shimono SeaPois bem, você já teve seu momento romântico e está no mar. O Move modificará para as quatro direções ou pular na água. Uma boa quebra no ritmo do jogo. Temos o mapa pra você não cometer erros.


Bracers D Ondas Rodamoinho Ondas


Ondas
LuteB
Fantasma AHelmet C
Fantasma A
Fantasma A

FantasmaA
FantasmaVajira A-C 


Fantasma A 


No ponto A você encontrará espíritos (samurais esqueletos), basta você evita-los, pois em combate, indo na direção deles ou qualquer outra ação, eles vão aos poucos te minando a vida. É no ponto B que você deve chegar, entre na água. Um fantasma cantor que você deve exorcizar com Kannon. Pegue o Lute. Agora você pode enfrentar os fantasmas, bastando usar o Lute.  O Lute também serve para acalmar os trechos de tormenta. Aqui você pode conseguir uns itens bons.  No ponto C você encontra outros itens como a Varijae o Helmet que aumentam seu ataque e defesa. No ponto D, você achará um inimigo bizarro, um Peixe de cara humana. Você deve ataca-lo com a boca aberta e pular sua investida. Conseguirá os Bracers. No centro-fim do mar há um redemoinho. Usando o Lute ele quebra e surge os Beads. Basta repetir a operação e o mar abrirá ´para você. Caia na Água.


UnderWater Você encontrará peixe-homens menores, caranguejos e dragões do mar, vencidos com 2 ki carregado. Demorei pra entender, mas deve cair no primeiro buraco, do contrário ficará dando voltas. Neste trecho, o Hatten é útil contra os rodamoinhos. Você cairá num palácio antigo cheio de fantasmas samurais e estátuas que atiram.    



Encontrará o Imperador Fantasma e sua mãe. Eles pedem ajuda para se curar. O Kannon os fará descansar em paz. O melhor é que eles deixam pra você a verdadeira Espada Kusanagi. Uma turma de barco está te esperando, basta usar a Sword Kusanagi que ganhou e dispensará uma dura luta. Vaporiza geral.


Izumo 2Faça o mesmo percurso anterior, Kuma estará por perto pra lhe render um macarrão. Você enfrentará Asakana forma de um Dragão. Eis a luta que você estava esperando! Atire quando abrir a boca. Depois da luta, encontrará Shimazu (muito parecido com um Cavaleiro de Ouro de CDZ) e a tensão diminuirá. Usando o Talk. Do lado de fora do santuário, uma enorme centopeia, típica do folclore japonês, atacará seus ex-inimigos. Esse é um dos maiores e mais criativos do jogo: Você deve ficar na posição que seus tiros não atingem e disparar em sua cauda. Vencendo, Shimazu está ferido de morte, mas lhe dá uma bola.  Use o Take.  Kumano ShrineUse o Talk para chamar Utsuho, ele tentará ataca-lo, então deve mostrar a Ball of Shimazu para ele acreditar em você e continuar a conversa.
"Eram os deuses astronautas?"
KakogenVocê está em uma fazenda japonesa, enfrentará uns samurais e descerá num poço. Fique ligado para imediatamente usar o Makiri ou cairá no abismo. Haverão vários inimigos simples e até um sino. Entre num poço. Um lugar estranho, está cheia de equipamentos eletrônicos piscando e monstros de fogo que parecem robôs. Uns jatos indestrutíveis que você deve pular, uns cuspidores de fogo que parecem cachorrinhos (invencíveis quando cospem) e bonequinhos que parecem bombeiros explosivos. Você chega no santuário e lá dentro há um pote. Use o Indrapara quebrar as barreiras e Use a Ball of Shimazu nela, o Pote se abrirá. Mova-se para dentro.... e tcharam! É uma nave espacial chamada Ameno. Kane usando o Look concluirá que é uma antiga civilização. Isto é, o autor deve ter lido “Eram os deuses astronautas”. Há uma marca de mão no painel. É ele que vamos procurar. Volte todo o percurso até a caverna. Aqui é o melhor lugar para turbinar sua Energy, rapidamente chegando a 900 pontos! Basta ir e voltar. Na hora de sair, eu morri dezenas de vezes usando Makiri. Pulei pro lado esquerdo estreito. Fui saltar o vão (desistindo e querendo morrer!)  e toquei o vão do teto. Assim consegui sair o poço. Vá pro canto esquerdo, e parará em Kumano. Utsuho vá te explicar sobre a nave e o deus serpente. Hora de partir pra Hinokami.   


Mt. HinokamiEis o trecho mais hard do  game. Plataformas sobre lava quente. Com todo cuidado, os pássaros morrem com Kannon, mas mais preocupantes são as 4-esferas que só o tiro carregado ou Hattendão  conta. O dragão é vencido com Tiro Carregado. Apenas não seja atingido durante o Makiriou é morte certa na lava. Você enfrentará Kezeus e um insetão que parece que saiu do Kenseiden. Vencendo, você conseguirá a mão, (Armor Bracers) volte pra Kakogen, e Use para decolar a nave.
PyramidNem acredito que comecei um jogo como um monge lutando em templos, e agora estou numa nave. E pra onde vou? Isso mesmo, numa pirâmide! O mangaká leu “Eram os deuses...” mesmo! O Move mostrará 4 pontos cardeais. Na parte leste da Pirâmide, mande o Fudo na placa verde e aparecerá a primeira porta. Inimigo simples como escorpiões que pulam e estátuas de Anúbis com machados, típico de um filme de múmia. Pegue a ponta de pirâmide. Vá pra fora e use o Makiripra ir ao topo. Use o Pyramid Point. Outro Makiri pra descer. Agora entre no Sul da pirâmide   que agora começou a fase de verdade. Um labirinto cheio de esferas azuis e os últimos itens do jogo. Sim, você pensava que não tinha labirinto neste jogo, né? Mais uma novidade!




Que labirinto infernal, viu?
As esferas estão marcadas nas salas com a bola vermelha. As paredes quebráveis estão marcadas em verde, mas você precisa pegar o Hammer que está com o o boss da parte A. A parede do item C tem as pernas da Armadura à direita  e o Tridente (vindo da China) à esquerda.  A parede do item D, o Torax. A última escada é uma droga porque sempre tem uma cabeça alada pra te derrubar. Derrote-o e aparecerá a Rainha. Talk com ela 6 vezes. 

Você pegará o Ameno novamente, e Daikak poderá mandá-lo para o Underworld.  
UnderWorldNo Gate do Submundo você verá um guarda que usando o Talk, não quer você lá. Use a Sword of Kusanagipara lhe abrirem a porta. 

Vá pro Ferry, onde há o barco para o outro mundo (sim, fãs de shinigamis é o rio que leva ao mundo espiritual). Use o Lookpara o barqueiro  gordinho (Caronte?), ou Ferryman, que dorme. Volte pro guarda e lhe explique (Talk) a situação, ele te dirá pra ir ao Chizu Mea.

Você verá uns sacerdotes numa espécie de festa. Toyo, uma mulher lhe oferecerá Nectar (Ambrosia-Amrita), a bebida dos deuses. LookTakepara pegar o Nectar. Um gole te recarrega. Dê um pra o barqueiro e ele te acordará. O segundo para levá-lo onde você quer. Vá pra Yomotsu. 

Uma zona muito estranha com Onis (ogros) e youkais (monstros e elementais), cabeças voadoras e Olhos-Podres que crescem se você só der um tiro. Cuidado com o Oni do bocão: o tiro fraco o partirá em vários onizinhos. Há uma árvore e duas escadas. Entre na árvore, lá dentro terá um Oni rosa com um chifre chamado Amano. Ele irá atacá-lo, então mostre-o a Sword Kusanagi. Agora ele será teu guia. Na primeira escada, converse com a linda Izanami, ela te guiará para a segunda escada, à direita. Use o Makiri e vá atirando pra não cair nos buracos. Você encontrará um cão azul (na versão inglesa, Cérberus) Fale com ele, mesmo não conseguindo. Será engraçado você tentar entrar: "Cãozinho bonito!...Cãozinho bonito!..." 

Volte a falar com Amano. Ele te explicará que ele gosta de música. Fale com Toyo, e o Ferryman. Agora mova-se Toki Fields, onde tem uma pedra. Use o Look numa rachadura. Encontrará algo. O Take não permitirá pegar, a pedra é pesada.  Peça ao Ferryman que ele emprestará o Remo (Oar) e Use na Pedra. Take para a Harp. Vá até Toyo e toque, ela te ensinará a tocar direito. Agora vá naquele angu do Yomotsu e toque pro "cãochorro", e Yomotsu aparecerá, ele lhe explicará sobre o Espelho Sagrado e as 7 Espadas.   

Talk para o Ferryman e ele te levará a onde está a Sword of Fury. Tem umas cabeças voadoras que você elimina com o Fudo. Pegue a Espada e leve a Yomotsu e depois a Amano. Ele te falará para ir a uma rocha azul no final direito da fase. Antes ela estará fechada. Há 6 Espadas presas na rocha. Use o Move 4 vezes para achar a Rocha vazia. Use a Sword of Fury pra enterrá-la e abrir uma passagem. Lá terá um lagarto com cabeça voadora. Use o Fudo sem dó. Aparecerá o Espelho. Leve para Izanami.

Agora ela te contará o Segredo de como vencer o deus Serpente. Deixo com você as palavras sagradas de Izanami. Você automaticamente pegará o Amano e parará em Summit Temple.

Ceninha do Anime para a batalha final.

Final BattleDaikak ficará com o Espelho e lhe dará a Sword of Branches.

Recomendo ir pra Izumo. Kuma cuidará de recarregá-lo com seu spaghetti. Agora, uma surpresa: Use o Look no pescoço de Kuma e adquira o Necklace! Impedirá um pouco mais de morrer.

Vá para Kashima onde havia aquela pedra prestes a ser destruída pelo inimigo de Fogo. Cuidado para não errar! Use a Sword of Branches para quebrar o lacre. Irá surgir o deus serpente. Atire o Mirrorpara enfraquece-lo e a Sword of Kusanagi para rechaçá-lo preparar a grande luta. Agora é perícia:Você aumentará seus poderes, seu Life sobe pra 200! Criará grandes asas para uma batalha aérea (os poderes serão acionados com cima+baixo). Isto é, o jogo mudou completamente.

Surgirão 4 sub bosses para impedi-lo. O primeiro demônio vermelho joga um jato de fogo, basta carregar o tiro e ficar em zigue-zague para evitar tiros e soltar no encontro.O segundo é uma aranhinha azul chata que atira flechas, repita a tática com mais cuidado.O terceiro demônio vermelho cospe filhotes que te perseguem, é melhor usar o Kannon para evitar maiores danos.O último surge no céu escuro, e teleporta. Mas você pode vencê-lo só como os dois primeiros.Aí surge o gigantesco deus serpente. Não deixe de usar o Mars pra recarregar. Use o Fudo pra destruir os olhos e inutilizar as cabeças laterais e concentrar apenas na última cabeça no último duelo.

_______________________________________________________________
Muito bem! Se você conseguiu sobreviver é merecedor de ver este final incrível! 
Uma pena que o final da versão japonesa é bem mais caprichado. 
Este é um daqueles jogos que você diz que vale a pena possuir um Master System com a profundidade que ele te envolve, a variedade de jogabilidade e claro, com o desafio que te proporciona.
Dificilmente, haverá um outro como Spellcaster!






Dica do Dia - Master of Darkness [QgMaster] [[fuente]]



SELEÇÃO DE FASE.Na tela título, segure  ⇖ e aperte 1+2. Aparecerá uma tela de Options, com seleção de fase e Teste de Som.
INVENCIBILIDADENa tela acima, no item Life, no lugar de 00, marque FF. O personagem ficará invencível.
ENCONTRO COM DRÁCULA
Quer sair do labirinto do Drácula logo, sem medo de Spoiller? Assim que entrar no Labirinto do último round, escolha duas vezes o caminho esquerdo para baixo. No segundo você cairá num abismo.  Caia na plataforma e escolha sem o caminho direito pra baixo. Pronto, você já achou Drácula para a batalha Final.  

Adeus Satoru Iwata (1959-2015) [QgMaster] [[fuente]]


Saudações amigos,

Hoje venho falar sobre algo fora do tema do blog, mas em respeito a este grande ícone da história dos videogames que faleceu neste último sábado, dia 11 de julho de 2015.

Satoru Iwata foi presidente da Nintendo desde 2002, mas já nos anos 80 iniciou sua carreira trabalhando como freelancer na Hal Laboratories (Kirby, Smash Bros, Earthbound) e depois ingressando totalmente após terminar seus estudos.

A Hal Laboratory passava por dificuldades financeiras no início dos anos 90, e Satoru Iwata conseguiu se destacar como programador até ser nomeado presidente em 1993, quando resolveu tomar decisões que salvaram a empresa e a colocaram novamente na direção certa.

Seus méritos na Hal Laboratory chamaram a atenção da Nintendo que acabou colocando o mesmo para trabalhar na própria Nintendo. Iwata foi tão bem sucedido que chamou a atenção do presidente Hiroshi Yamauchi, que lhe conferiu cargos maiores até nomeá-lo seu sucessor em 2002.

O primeiro console lançado pela Nintendo pela sua gestão foi o Nintendo DS, portátil que fez um sucesso absurdo apesar de ser bem inferior ao concorrente Sony PSP, mas que apresentou uma nova forma de jogar com duas telas e uma delas sensível ao toque. Logo em seguida surgiu o Wii, outro sucesso de vendas apesar de hardware bem inferior aos concorrentes mas com a novidade do controle de movimentos. Essa dupla (DS e Wii) foi talvez a mais lucrativa de toda a história da Nintendo.


Atualmente a empresa não está tendo o mesmo sucesso da geração anterior, e Iwata tem se ausentado há algum tempo por complicações de saúde, mas nesse último sábado ele enfim perdeu a batalha contra o câncer. Foi uma triste perda sem dúvida, mas segue o nosso respeito e admiração por essa lenda e pela sua contribuição para a indústria dos videogames, e nossos sentimentos à família.

Alguns feitos:
  • Kirby's Dream Land não foi criado exatamente por Iwata, mas partiu dele a idéia de um jogo de plataforma simples e divertido.
  • Earthbound para SNES tinha um código fonte bagunçado e problemático. Iwata analisou que consertar o código como estava levaria muito mais tempo, então decidiu que Earthbound deveria ser escrito do zero. E funcionou, Earthbound foi lançado e se tornou um sucesso.
  • Em Pokemon Stadium, Iwata apenas leu rapidamente o código fonte do sistema de batalhas do Pokemon Red de Gameboy e reescreveu o código sem nenhuma documentação.
  • Em Pokemon Gold e Silver, Iwata desenvolveu um método de compressão de dados que permitia explorar a região de Kanto do jogo original após vencer a região do Johto apresentada neste jogo, praticamente tendo dois jogos em um.
Obrigado Satoru Iwata, e adeus.
"No meu cartão de visitas sou o presidente corporativo. Na minha mente, sou um desenvolvedor de jogos. Mas no meu coração, sou um gamer"
Satoru Iwata


Secret of Mana CD - MSU-1 [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]



Todos nós sabemos o quanto o chip de som do SNES é capaz de nos proporcionar incríveis trilhas sonoras. Inúmeros títulos que saíram para o console tiveram trilhas sonoras impressionantes, bem ambientadas, trazendo a atmosfera que o jogo pretendia passar, tornando-os memoráveis, por exemplo, Donkey Kong Country 2, Super Metroid, The Legend of Zelda: A Link to the Past, Chrono Tigger, Final Fantasy 3, Top Gear, e muitos outros.
Um dos jogos mais proeminentes da coleção de composições que marcam para sempre, chegou na plataforma através de Secret of Mana - título este que acaba de ser atualizado através de um novo hack ROM trazendo qualidade de áudio de CD para a aventura.
Enquanto muitos de vocês podem sugerir que uma trilha sonora tão icônica não precisa de mais nenhum retoque,  a comunidade retrô está mais do que feliz em receber novas atualizações, através da revitalização de grandes clássicos. Esta atualização manteve fielmente as encantadoras melodias  e sinfonias o mais próximo da trilha original, mas com novos arranjos e remasterizações que trazem maior refinamento e qualidade.
Tudo isso é possível graças ao desenvolvimento  do chip especial MSU-1 - feito por Byuu -, que possibilita inserir vídeos e áudios em qualidade de CD aos jogos de SNES. Esta versão modificada de Secret of Mana foi desenvolvida por DarkShok, mesmo criador de versões para outros jogos,  como Mega Man XRock N' Roll Racing, Top Gear 2, Super Metroid etc.

Você pode jogar no diretamente no Super Nintendo, desde que possua o flashcard SD2SNES, ou no PC, utilizando o emulador BSNES.
Download (rom patcheada): Clique Aqui!Download: (emulador bsnes): Clique Aqui!Download: (rom em português): Clique Aqui!
Obs: Para jogar com a rom em português, baixe a rom normal patcheada acima, depois baixe a rom em sua versão em português, e substitua esta por aquela.
Para jogar no SD2SNES, basta descompactar e copiar a pasta para o cartão SD. No SNES, vá até a pasta copiada no SD e abra o arquivo "som_msu1.sfc".
Para jogar pelo emulador BSNES, descompacte e abra o arquivo "som_msu1.sfc" presente dentro da pasta descompactada.

Master Review – GP Rider (1993) [QgMaster] [[fuente]]











Saudações amigos do QG Master! Desta vez, conversaremos sobre um dos poucos jogos de motociclismo lançados para o Master System, o GP Rider.
PREPARE TO RACE
GP Rider faz parte de uma categoria, entre os jogos de corrida, onde não existem tantos títulos, comparado em número, aos de automóveis. Além dele, pensando rapidamente em sucessos que pintaram no Master System, só me lembro de Hang-On e Road Rash.Sempre foi bem comentado, entre jogadores e revistas especializadas. E não é para menos, este game reúne características pouco comuns para um console 8 bits, com gráficos e sons muito bons.Sua tela dividida de forma nativa, dá a sensação de temos um rival disputando junto contigo todo o campeonato. De fato, você estará pois, o Player 2, estará presente como seu concorrente direto pelo título, mesmo controlado computador... uma novidade interessante.
Em GP Rider, o Split Screen (tela dividida) é nativo do game, não importando, se está jogando conta um amigo ou a CPU.

Modos de Jogo Aqui, pode-se se acelerar em três tipos de disputa:* Arcade - É possível correr durante 6 voltas em circuito escolhido pela CPU. Aceita o multiplayer; * Tournament – Cria-se o próprio torneio, com até 15 pistas disponíveis; Também aceita dois jogadores;* Grand Prix – Dois jogadores podem disputar o campeonato simultaneamente em todas as 15 pistas do campeonato mundial.
Prepare sua máquina Assim como ocorre nos melhores jogos do gênero, em GP Rider, também é possível realizar acertos mecânicos em sua moto. A regulagem deve levar em conta aspectos presentes em cada pista, se é de alta ou baixa velocidade ou, ainda, se o tempo previsto para a corrida estará seco ou chuvoso.* Motor – Há dois tipos, o Lean (leve, de baixo consumo e pouca velocidade final), Medium (o meio termo entre consumo e velocidade) e Thirsty (potente e de consumo maior);* Marchas –Automática (não precisa fazer trocas de marcha, ideal para novatos) e Manual (não faz trocas de marcha sozinha, merece treino); * Pneus –Existem dois tipos, o Wet (para pista molhada) e o Dry (pista seca).
Os gráficos deste game se mostram muito bons. Um exemplo disto, são as imagens entre as corridas, que são apresentadas em tela cheia.
Considerações pessoais – O jogo é muito bom mesmo, por isto, foi tão elogiado. Entretanto, não está livre de falhas. Ainda que não comprometam a diversão, tais “mancadas”, podem incomodar bastante em determinados momentos.O primeiro caso é a questão dos ajustes do jogo. GP Rider te dá a chance de fazer alterações na moto para melhorar o desempenho. Até aqui, tudo bem mas, não importa o que se faça, você terá condições plenas de ganhar uma corrida, de qualquer forma, uma vez que, tais alterações, não surtirão efeitos significativos. Pode-se escolher o motor mais lento para uma pista rápida ou um pneu de pista molhada para correr no seco que, no fim, dará na mesma. Para mim, isto é grave pois tira boa parte da graça daqueles que gostam de fazer bem mais, do que apenas, acelerar em um game de corrida.Outra questão chata é a tela dividida. “Mas Douglas... você disse, lá no começo, que esta era uma novidade interessante!”. E é mas, como o Master tem resolução de imagem limitada comparado à consoles mais potentes, os desenvolvedores tiveram que lidar com menos área útil para trabalhar... é menos espaço para o campo de visão do jogador. Não raras serão as vezes que, baterá numa moto que vem na sua frente por não ter enxergado sua aproximação, por ela nem ter aparecido na tela. Isto, chegou a me irritar bastante.
Como se poderia esperar de um game do gênero, é possível fazer uma série de ajustes na moto. O curioso aqui é que, pouco importa o que faça, não existirá efeito prático durante a corrida.

Agora, as coisas boas...GP Rider arrancou comentários, por vezes, exagerados, como aconteceu em uma das edições da revista Ação Games (a de número 44, de outubro de 1993) dizendo que os gráficos são tão bons que poderiam ser confundidos por um de Mega Drive. Exagerados, porém, com certo fundamento. O game possui gráficos bem detalhados e com imagens grandes, de tela inteira (ilustrando resultados das corridas e pódium).Notará ainda bastante fluidez de elementos, dando uma boa sensação de velocidade. Verá sua moto deslizar de um lado para o outro com bastante suavidade, diferente da maioria dos games de corrida desta época onde, parece que o veiculo está preso no centro da tela e o cenário é que se mexe... aqui, há dois eixos de rotação (moto e pista).Os sons são competentes também. O ronco do motor soa decente; as poucas músicas são bem compostas além de existirem vozes digitalizadas (dizendo “Prepare to Race”, por exemplo) nítidas e cristalinas... coisa rara em games desta geração.Por fim, digo... Acelere fundo em GP Rider! É um título que não faz feio, mesmo hoje em 2015. Pode render bastante diversão, principalmente, se tiver um amigo para disputar o “Pega”. Vale a pena!

Dissecando a ULA do TK90X [Victor Trucco] [[fuente]]


Você sempre quis saber como a ULA do TK90X realmente funcionava, mas não tinha a quem perguntar? Leia então o artigo Dissecando a ULA do TK90X, onde vou comentando parte a parte as funções da ULA e explicando no código fonte e no esquema TTL.

Teste Shadowbox [Retro Games Revival] [[fuente]]


Em  Alien Panic!!  temos que ajudar os aliens a voltar para seus planetas (casas) antes que causem um caos de proporções cósmicas.

Para isso temos um canhão fotônico “FFF” (Fotones con Forma de Flechita). Temos que configurar-lo de acordo com a cor de cada alienígena. Cursor acima ou abaixo calibram a cor certa.  Para aliens brancos qualquer cor / frequência serve. Com tudo preparado, mire e atire... quer dizer, você não verá tiro algum, apenas o alien some (é teletransportado) da sua frente. 
Se algum alien deixa de ser transportado... GAME OVER!

Jogo em Xbasic bem interessante! Boa jogabilidade, caracteres redefinidos bacanas e uma boa palette.
O que poderia ser apenas mais um mini game old school Space Invaders  baseado  se tornou algo mais legal, graças a criatividade e competência do programador / designer de Alien Panic!! Sem uma dificuldade  "impossível", Alien Panic!! pode divertir por um bocado de tempo o retrogamer fã das coisas simples e boas!

E o jogo ainda é distribuído com código fonte. Site da Oniric Factor:  http://www.oniric-factor.comPagina do Alien Panic!!: http://www.oniric-factor.com/?page_id=618
Jorge Romero  começou muito bem! E a  Oniric Factor  desde já se mostra um grupo promissor.
Uma grata surpresa na morna cena de jogos para MSX! 
https://www.youtube.com/embed/WX5N65nYXdM
////Jogo.....: ALIEN PANIC!!
////Release.: Oniric Factor (2014) 
////Sistema.: MSX1
////Estilo....: Shoot'em'up, Onescreeen

RECOMENDO: SPELLCASTER [QgMaster] [[fuente]]






Oi amigos!Estão entediados dos jogos-padrão? A boa da semana pra mim, foi pegar novamente o Spellcaster. Baseado no anime Kujaku Ou, o game é uma pérola pouco explorada na fase inicial do Master. E ainda pode surpreender muito!
Os gráficos são bons, a música com ares de mistério, a história te prende a cada detalhe, a jogabilidade mistura quebra-cabeça com ação de forma bem fluída. Você banca o conjurador-guerreiro e o detetive ao mesmo tempo, com extrema harmonia. Duelos mágicos em templos, exploração no mar, contato com seres espirituais, e tudo o que pode agradar do gênero.
Entrou na listinha dos recomendados, pois após o belo review do Boss Léo, já, já, tem Guide completo desta obra-prima!Aguarde!


Crônicas Gamísticas: Em busca do (novo velho) Sonic perfeito [Retro Players: jogos antigos é com a gente!] [[fuente]]


Adeus mundo 3D, olá novamente mundo 2D com Sprites Eu talvez nem precisasse dizer isso, mas é lógico que a franquia deve abandonar o mundo 3D. Agora complemento que deve sumir não somente a jogabilidade 3D, mas a parte gráfica também. Como disse lá em cima, com Rayman Origins/Legends a ideia deu muito certo, acredito […]

The post Crônicas Gamísticas: Em busca do (novo velho) Sonic perfeito appeared first on RETROPLAYERS.

Cutthroat Island [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Ano: 1995
Gênero: AçãoFabricante: Acclaim Entertainment
Assim como no filme, aqui no Brasil conhecido como "A Ilha da Garganta Cortada", em Cutthroat Island você encarna o papel da caçadora de tesouros Morgan Adams munida de seu sabre ou de seu amigo William Shaw e sua espada na busca do tesouro perdido do pirata Ent.
O jogo tem uma engine gráfica bem legal, contando com gráficos diferentes do habitual e com cores menos vivas, remetendo a época dos piratas e suas aventuras em alto mar.
A jogabilidade também agrada bastante, tendo um número legal de diferentes movimentos e ao decorrer das fases novas habilidades são abertas. 
As fases são bem variadas e um tanto difíceis, indo desde o famoso estilo "bata em todos no caminho" até descer a colina com um carrinho de mineiro tentando não bater em nada no caminho. 
A trilha sonora também é um ponto alto no jogo, ficando marcada na mente daqueles que já jogaram e com certeza irão grudar na mente de quem jogar.
Sem dúvida, Cutthroat Island, é um clássico do Super Nintendo, sendo por alguns lembrado como um excelente e divertidissimo jogo, e por outros, como apenas um jogo muito difícil.

Créditos Review: Guilherme Drigo
Download: Clique Aqui!

Judge Dredd [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Ano: 1995
Gênero: AçãoFabricante: Acclaim Entertainment
Inspirado no filme conhecido no Brasil como "O Juiz", com Sylvester Stallone, Judge Dredd foi um jogo controverso para sua época. Como no filme, num futuro não muito distante, onde a criminalidade tomou conta das cidades, você é uma nova especie de autoridade: um juiz. 
Responsável por julgar e executar a lei. Em termos de jogo, você pode escolher se prende os criminosos ou se os executa, além de ter sangue quando um personagem ou npc leva tiros, o que gerou grande polêmica.
O formato do jogo apesar de plataforma, não é linear. Existem computadores pela fase, nos quais você acessa suas missões, como destruir todas as armas e prender 10 criminosos, então você anda pela fase, sobe e desce andares, até cumprir as missões e sair da fase.
Os gráficos são futuristas e bem feitos e a jogabilidade é um destaque, pois Dredd tem movimentos muito legais, mas pode ser um pouco rápida, o que exige atenção do jogador.
O jogo é recheado de ação, e tem uma dificuldade um tanto quanto elevada, embora nada que o coloque na lista de jogos impossíveis. É um pouco difícil matar os bandidos sem tomar dano, mas nada que seja um contra de verdade.
De mofo geral, é um bom jogo, repleto de ação e um pouquinho de violência. Bem divertido para aqueles que já viram ao filme, ou não. Indico para os fãs de Stargate e Demolition Man.

Créditos Review: Guilherme Drigo
Download: Clique Aqui!

Mighty Morphin Power Rangers: The Fighting Edition [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Ano: 1995
Gênero: LutaFabricante: Bandai
Mais uma vez os Powers Rangers dão as cara no Super Nintendo, mas agora detonando tudo. Em seu melhor jogo para SNES, os Rangers não são os principais personagens; são os Zords. Para aqueles que não lembram, os Zords são aqueles robôs gigantescos que eram unidos para derrotar um inimigo gigante também. Já da para imaginar como é o jogo, não é mesmo?
No modo Story, o jogador poderá escolher entre jogar com o Thunder MegaZord ou o Mega TigerZord. Aqui você enfrentará todos os Zords amigos e mais 6 inimigos (um mais chato do que o outro). O objetivo é chegar até o final para derrotar Lord Zedd (depois um inimigo muito chato). Terminando o jogo no modo Hard, aparecerá um Código secreto.
Mas o mais legal desse jogo com certeza é o modo Multiplayer. Os jogadores poderão escolher entre 8 personagens, incluindo 4 inimigos e 4 aliados; cada personagem tem suas magias e movimentos especiais. Um fato muito interessante é uma barrinha que fica do lado da imagem de cada personagem. Você terá que mandar um movimento especial (magia) no momento em que a barrinha ficar completa, isso fará a magia sair mais forte e o seu personagem ficará verde. E além disso, a cor que preenche a barra irá mudar: quando passar da cor verde, a barra se completa de trovões, essa é a barra que é possível mandar um especial.
Os gráficos e os efeitos desse jogo são muito legais, que junto com a trilha sonora, causa uma boa impressão e uma grande nostalgia para aqueles que viam o seriado.
Eu lembro das tardes que eu ficava jogando com meus amigos esse grande clássico para snes. O jogo é muito maneiro e é um dos melhores jogos de luta (na minha opinião) para Super Nintendo. E então Rangers, é hora de morphar (ou seria Morfar?)!

Créditos Review: WallaceDownload: Clique Aqui!

Pokémon - Pocket Monsters [Super Nintendo para sempre!] [[fuente]]


Gênero: AventuraAno: 1994Hacked: DVS Eletronic 
Pikachu, eu escolho você !
Primeiramente, o jogo não tem nada a ver com o tradicional Pokémon. Os tradicionais, aqueles que o jogador treinava seus monstrinhos para ganhar level e poder, não tem nenhuma semelhança com essa versão hack.
No jogo, você controlará o Pikachu numa floresta totalmente estranha. Com animais que não são Pokémons. Bem, talvez, os programadores tentaram reproduzir os bichinhos, mas sem êxito algum. Tá bom, é possível ver um Porygon, um Beedrill pela fase. Mas é uma tristeza só...
A trilha sonora, mais parece que você está em uma cena de ação, sendo que a mesma foi extraída do jogo Bonkers. Sério, parece que alguma batalha está ocorrendo e você está no meio dela, ou seja,não combina em nada com o jogo.
Os gráficos, no entanto, até que são caprichados, chegando a ser até que bem feitos em comparação com alguns outros jogos da época. O Pikachu, por outro lado, é meio gordo, talvez em razão da limitação imposta pelo jogo que utilizaram como base para fazer a modificação, mas é aceitável.
A jogabilidade, talvez, seja a pior parte, o personagem se movimenta lentamente, o pulo é muito ruim, requer bastante precisão para executá-lo, mas mesmo assim, é muito fácil cair em um abismo e perder a vida.
Mesmo com todos os defeitos apontados, o jogo merece algum reconhecimento, afinal, naquela época, os romhackers tinham pouco conhecimento acerca de como desenvolver ou modificar os jogos para o SNES, conseguindo extrair leite de pedra para nos trazer a possibilidade de jogar um jogo de Pokémon.

Créditos Review: Wallace
Download: Clique Aqui!